Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Dezembro, 2009

Cronologia (1926-1974)

  • Golpe de Estado de cariz militar;
  • Entrega do poder a Mendes Cabeçadas;
  • Ditadura Militar;
  • António Salazar é nomeado Ministro das finanças;
  • Gomes da Costa chefia um novo golpe de Estado como chefe do Governo e Presidente da República;
  • Partido Comunista entra na clandestinidade;
  • Em Novembro começam a surgir jornais clandestinos.

  • Surgimento de novos jornais clandestinos: “O Reviravalho”, “A Revolta” e “O Tacho”;
  • Aplicação da censura em fitas cinematográficas;
  • Tentativa de golpe de Estado anti-ditatorial.

  • Criação da Policia de Informação do Ministério do Interior;
  • Óscar Carmona é eleito Presidente da República;
  • Separação dos sexos na escola.

  • Promulgação do acto colonial;
  • Ilegalização do Partido Republicano e prisão/exílio dos seus dirigentes.

  • O “Avante” começa a ser publicado (clandestino);
  • Inicio da publicação do Diário da Manhã;
  • O Rádio Clube Português começa as suas primeiras emissões.

  • Salazar assume a chefia do governo.

  • Criação da Constituição do Estado Novo;
  • Criação da Polícia de Vigilância e Defesa do Estado;
  • Criação do Tribunal Militar Especial.
  • Publicação pela imprensa clandestina daquilo que a censura cortava.

  • Revolta operária contra a abolição dos sindicatos livres;
  • Criação da Acção Escolar Vanguarda;
  • Primeiro congresso da União Nacional;
  • Três mulheres entram no parlamento português pela primeira vez.

  • Carmona é reeleito Presidente da República;
  • Tentativa de golpe de Estado apoiado por Republicanos e Sindicalistas.

  • Criação da prisão política do Tarrafal;
  • Criação da Mocidade Portuguesa;
  • Criação da Legião Portuguesa;
  • Salazar assume o controlo do exército.

  • Atentado fracassado contra Salazar, feito por anarquistas.

  • Pacto Ibérico entre Portugal e Espanha.

  • Portugal recusa aderir ao Pacto “Anti-Komintern” (anti-comunista);
  • Salazar proclama a neutralidade portuguesa na Segunda Guerra Mundial;
  • Início da Segunda Guerra Mundial.

  • Atribuição a Salazar do título de doutor honoris causa, pela Universidade de Oxford.

  • Óscar Carmona é reeleito presidente da República;
  • Inauguração do aeroporto da Portela.

  • Constituição do Movimento de Unidade Nacional Antifascista (MUNAF).

  • O MUNAF divulga um programa de governo com objectivo da queda do regime após o fim da guerra;
  • Adopção do plano de electrificação do país.

  • Fundação da TAP;
  • Concessão do poder legislativo ao governo;
  • Inauguração do aeroporto de Pedras Rubras (Porto).

  • Manifestação em Lisboa e Porto contra a Ditadura;
  • Publicação pela Time de um artigo crítico para Salazar e o regime;
  • Apresentação do pedido de adesão às Nações Unidas, por Portugal.

1947

  • Demissão de funcionários públicos acusados de participarem em “actividades ilegais”;
  • Surgem os jornais clandestinos: “Barricada” e “Democracia”.

1948

  • Início da utilização da base das lajes nos Açores, pelas forças armadas americanas.

1949

  • Óscar Carmona é reeleito presidente, sem oposição;
  • Portugal é membro fundador da NATO;
  • A União Nacional ganha, mais uma vez, as eleições legislativas.

1951

  • Morte do Presidente Óscar Carmona, após 23 anos de chefia de Estado;
  • O general Craveiro Lopes é eleito Presidente da República.

1953

  • Criação das províncias Ultramarinas, em substituição do Império Colonial Português;
  • Nova vitória eleitoral da União Nacional.

1954

  • Encerramento da prisão política do Tarrafal.

1955

  • Portugal torna-se membro das Nações Unidas.

1956

  • Solicitação da Revogação do regime da censura, dirigido ao Presidente da República;
  • Greves em Lisboa;
  • Emissões experimentais da televisão da RTP em Liaboa.

1957

  • A ONU condena a situação das províncias ultramarinas portuguesas;
  • Início das emissões regulares da RTP. A censura á televisão é feita, tal como na rádio;
  • Advogados protestam publicamente contra as práticas de tortura da PIDE;
  • Humberto Delgado aceita a candidatar-se a Presidente da República.

1958

  • Américo Tomás sobe à presidência da República, onde permanece até 1974, por eleições fraudulentas;
  • Descoberta a conspiração militar para derrubar o regime, dirigida por Humberto Delgado

1960

  • Invasão do Forte de Peniche por parte do PCP;
  • Portugal adere ao Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento;
  • As Nações Unidas voltam a condenar a política Ultramarina Portuguesa.

1961

  • Pedido de abolição da censura dirigido ao Presidente da República;
  • Massacre em Angola;
  • Início da Guerra Colonial;
  • Criação do Movimento Nacional Feminino;
  • Concessão da cidadania portuguesa a todos os habitantes das províncias  Ultramarinas.

1962

  • Criações do Decreto de Lei Nº42278, os crimes da imprensa passam a ser julgados em tribunais plenários;
  • A UPA transforma-se em Frente Nacional de Libertação de Angola;
  • Portugal solicita a abertura de negociações para aderir á CEE;
  • Criação clandestina do Movimento de Acção Revolucionária.

1963

  • A Guerra Colonial estende-se à Guiné.

1964

  • Fundação clandestina do Comité Marxista-Leninista português, e da Frente de Acção Popular;
  • Fundação da Acção Socialista portuguesa por Mário Soares;
  • Escolaridade  obrigatória passa para os 6 anos;
  • A guerra colonial estende-se a Moçambique.

1965

  • PIDE assassina Humberto Delgado em Espanha;
  • Américo Tomás é reeleito Presidente da República;
  • Mário Soares e outros dirigentes da oposição democrática são presos pela PIDE.

1966

  • Reabertura da colónia penal da Tarrafal para os dirigentes independentistas de Angola, Guiné e Moçambique.

1967

  • A NATO localiza um comando em Lisboa:
  • A liga de Unidade e Acção Revolucionário, dirigida por Palma Inácio, rouba o Banco de Portugal na Figueira da Foz.

1968

  • Início da publicação do jornal “A Capital“;
  • Mário Soares é deportado para São Tomé;
  • Salazar sofre uma queda que acaba por o incapacitar;
  • Marcelo Caetano é nomeado Presidente do Conselho de Ministro.

1969

  • Marcelo Caetano visita Angola, Guiné e Moçambique;
  • A oposição Comunista e não Comunista concorrem às eleições para a Assembleia Nacional.

1970

  • Crítica à censura pela sua má difusão de ideias;
  • Morte de Salazar;
  • União Nacional passa a chamar-se Acção Nacional Popular;
  • Criação clandestina do Movimento reorganizativo do Partido do Proletariado;
  • Atentados á Acção Revolucionária Armada.

1971

  • A Nova Lei de Imprensa substitui a censura pelo exame prévio, mas na prática nada muda;
  • Portugal sai da UNESCO em protesto contra o alegado apoio da organização aos movimentos independentistas nas províncias Ultramarinas.

1972

  • Criação da Acção Socialista Portuguesa;
  • Mário Soares junta-se à Internacional Socialista;
  • Tratado de Associação de Portugal á CEE;
  • Américo Tomás é reeleito Presidente da República;
  • Massacre de 400 civis desarmados incluindo mulheres, crianças e idosos, em Moçambique por parte do exército portugués.

1973

  • Início da publicação do Semanário “Expresso”;
  • III Congresso da Oposição Democrática em Aveiro;
  • Primeiras reuniões clandestinas de capitães e outros oficiais das Forças Armadas provocadas pelo descontentamento dos oficiais de carreira;
  • A 24 de Novembro o Movimento de capitães discute pela primeira vez a hipótese de um golpe de Estado para derrubar o Regime;
  • Tentativa de golpe de Estado, de extrema-direita, liderado pelo General Kaúlza de Arriaga;
  • A acção socialista portuguesa transforma-se em Partido Socialista;
  • Congresso dos combatentes do Ultramar defende a continuação da política do Governo para as províncias Ultramarinas e a Guerra Colonial.

1974

  • O General António Spínola publica o livro “Portugal e o Futuro”;
  • O Movimento de Capitães aprova as bases do programa do Movimento das Forças Armadas;
  • Marcelo Caetano pede demissão ao Presidente da República, que não aceita;
  • Tentativa golpista frustrada de oficiais  Spínolistas a partir das Caldas da Rainha;
  • Movimento das Forças Armadas é bem sucedido no Golpe de Estado de 25 de Abril que derruba o regime;
  • Nesse dia, vários jornais nao foram censurados.

Read Full Post »